Páginas

A nossa escolha


No post passado eu falei das diversas formas de parto existentes, mas não disse qual tinha sido a nossa escolha ou intenção. Até porque só saberemos na hora H, mas fiz questão de encontrar um médico que seguisse a linha que acreditamos ser o melhor para nós. Então só começamos as tentativas depois de encontrar a médica, fomos a vários médicos conversávamos e sempre ouvíamos uma negativa quando a gente falava que queria um parto natural humanizado. Quando encontrei a minha médica ela ainda aceitava pacientes pelo plano de saúde, mas quando engravidei ela já tinha passado a atender somente de forma particular. 

O hospital utilizaremos pelo plano de saúde, mas teremos que arcar com os custos da equipe de parto (obstetra, enfermeira obstetra e pediatra) e com as consultas mensais. Nada disso é baratinho, no entanto é prioridade pra gente e tivemos que abrir mão de algumas coisas como por exemplo viajar pra fazer o enxoval. Tem família que pode fazer os dois. aqui em casa pra nossa realidade ou era um ou outro e optamos por ter uma médica em quem podemos confiar e que temos total empatia.

Tem gente que quando fica sabendo da nossa opção, faz cara de espanto e nos chamam de loucos, atrasados, retrógrados e mais um monte de adjetivos bacanas. Só que não! Ou então rogam "praguinhas", tudo isso me deixa chateada e já até conversei sobre isso com minha médica e ela diz que é assim mesmo que ela própria é vista por grande parte dos médicos com maus olhos. quando escolhemos nossa médica, não escolhemos um parto normal, até porque só saberemos ser possível na hora se não houver nenhum contratempo (e não terá, amém!). A escolha foi por uma médica em quem confiamos e ponto.

Eu respeito o direito de escolha das pessoas e defendo que elas sigam pelo caminho que escolheram, por que é tão difícil as pessoas respeitarem a nossa posição? Minha intenção não é catequizar ninguém, quando alguém pergunta a minha opinião eu dou e ela não é baseada em achismos nem coisa do tipo. Ela é fundamentada em muita leitura, conversa com profissionais da área, amigas que são mães e que vivenciaram diferentes experiências em relação ao parto. E de forma nenhuma acho que a nossa opção é melhor do que a dos outros. Ela é perfeita pra mim e pro Mendel que pesquisamos e escolhemos juntos. A nossa caminhada nessa gravidez é nos fortalecer e ultrapassar cada um dos nossos receios e nos unirmos ainda mais.

5 comentários on "A nossa escolha"

Thyene on 22 de fevereiro de 2013 00:06 disse...

Danee,

vc também é paciente da Doutora Fernanda?
Acompanho seu blog faz tempo, desde antes do seu casamento (casamos na mesma época).
Também estou grávida e após meu médico, que faz parto normal humanizado, me informar que não atenderá mais no Rio de Janeiro, fiquei desolada. Peguei indicação com algumas amigas e agendei uma consulta com esta médica, que acontecerá em breve.
Pelo seu relato (do planod e saúde) conclui que fosse ela.
É sempre bom elr blog de pessoas que pensam parecido ...pq não temos muito apoio no dia a dia, as pessoas simplesmente não entendem e não respeitam nossas escolhas.
Bjs
Thyene

Biessa on 22 de fevereiro de 2013 17:54 disse...

Danee,
toda escolha é passível de críticas. Quando vamos 'contra a maré', então, as pessoas teimam em nos apontar os dedos.

Acho que te contei já sobre a experiência que tive na infância - uma tia e a mulher do meu padrinho tinham tido filhos no mesmo dia. Qdo fui visitá-las, a do parto normal estava ótima, de pé, falando. A da cesárea não podia falar, nem se mexer e gemia de dor. Isso me marcou.

Eu tinha cinco anos e nunca me esqueci disso. Então sempre pensei em tentar o normal, é claro. Quando comecei a me interessar pelo assunto e saquei que os médicos, por pura conveniência e interesses, forçavam a cesária, chegando a mentir pras pacientes, fiquei muito chocada.

Se eu tiver de fazer cesária farei, mas não por falta de tentativa ou escolha do médico, e sim por questões naturais. Aliás eu tenho tanta certeza que vou fazer normal que acho que realmente será! rs

Beijos pra vc e sementinha (que agora ja deve estar enorme né?)

Ju on 25 de fevereiro de 2013 20:09 disse...

Eu escutei mt negativa e encarei caras de exclamação como seu eu fosse louca por ter escolhido esse tipo de parto. Respiro fundo e falo sobre a OMS, sobre a importância do parto normal para a mãe e o baby, sobre a criação do vínculo e dou explicações fisiológicas, espirituais para a minha escolha. Termino dizendo exatamente o que vc falou, não acho que sou melhor ou pior do que alguém por escolher esse tipo de parto, mas é a minha escolha. E assim como respeito minhas amigas que fazem uma cesárea eletiva sem qualquer expressão de indignação, quero que também me respeitem, né?

paula disse...

Danee..

Voce não me conhece, mas eu sempre leio seus post.
Hoje, pelea primeira vez me senti a vontade de comentar. Sou enfermeira obstetra, e escuto demais sobre esses olhares de estranheza. A classe médica e até de saude em geral, não está muito confortavel com essa mudança de paradigma.
Tal mudança se dá por mulheres como voce, estudam, se informam e tomam conta da situação. Parabens pela escolha informada e sensata.
Acredite primeiro em vc e no seu potencial feminino, e com ajuda da sua médica. tenho ctz que acontecera o melhor pros 3.
beijos

Silvia on 28 de fevereiro de 2013 23:07 disse...

Eu acho fundamental ter um médico em que se possa confiar, especialmente qdo o assunto é parto. Como você disse, as mulheres podem desejar um tipo de parto e acabar tendo outro. Não é impossível uma mulher que queira cesárea ter um filho de PN pq as vezes a placenta tá tão baixa no colo que o parto é mega rápido, e as vezes o bebê encaixa antes de qq coisa (aconteceu com uma prima e ela precisou fazer PN com forcepes de barriga aberta pq ia ter cesare - médico barbeiro!). É válido conversar, entender, perguntar e escolher qual o melhor médico dentro dos seus ideais. E a Dra Fernanda me parece uma médica super sensata pelo que vocês todas falam. Se não tivesse o meu amado GinecoOb talvez até tentasse ela!

Acho mais que válido guardar o dinheiro para a saúde do baby do que usar para compras. Lógico que é mais barato lá fora? Que tem coisas incríveis? Que seria ótimo fazer as duas coisas? Sim! Mas precisando escolher nem piscaria na escolha de pagar o médico. Quando minha mãe tava grávida, meus pais viajaram mas não compraram nada de enxoval. Meu enxoval foi todo feito por vó e tias :) Aliás, eu já encomendei várias coisas pra família mesmo ainda não pensando em me reproduzir no momento! Quero ir no Saara e comprar aquelas roupinhas neutras de algodãozinho e pedir para minhas tias bordarem com temas neutros.

Estou na torcida para que seu parto ocorra da forma que você sonhou e bem tranquilo, sem nenhum susto!

Beijos!

Postar um comentário

 

"Por onde for quero ser seu par" 2011 | Desenvolvido por Craftices