Páginas

Bolívia - Peru: Parte IV


Saímos de Puno as 21h em direção a Cusco. Dessa vez nada de surpresas desagradáveis. Fomos no ônibus leito da Tour Peru e pagamos 50 bolivianos pela passagem. Chegamos em Cusco por volta das 4h da manhã. Pegamos um taxi na rodoviária, o taxista cobrou 8 soles, considerado caro para cidade, mas considerando a hora entramos e fomos pro hostel que as meninas tinham reservado. Chegando lá não tinha quarto disponível já que o check out ocorre as 13h. O recepcionista nos deixou dormir na sala de tv que tem uns pufs super confortáveis. Desmaiei.

O primeiro dia na cidade seguiu-se em ritmo lento, fomos procurar uma clínica pro Mendel verificar a pressão (fizemos isso em todos os dias que se seguiram, mesmo depois de estabilizada), almoçamos ( na cidade tem vários lugares que servem o menu do dia que é composto por uma entrada, prato principal, as vezes tem sobremesa por um preço muito convidativo) e fomos andar meio sem rumo parando em algumas agências de turiso pra saber se valia a pena fechar Macchu Picchu com eles ou por conta própria. Terminamos o dia comendo uma pizza deliciosa e depois de comer tão mal na Bolívia eu me fiz em Cusco.

No dia seguinte acordamos determinados a comprar as passagens de trem e o ingresso para Macchu Picchu. Acordamos cedo e fomos andando perguntando onde comprar a entrada do parque. É incrível como uma cidade tão turística é difícil encontrar informações precisas. Perguntávamos pros guardas, na prefeitura e quando chegávamos nos lugares indicados não era o que procurávamos. Até que depois de muitas horas andando chegamos ao centro de informações turísticas oficial que fica próximo a praça das Armas. Lá ele nos instruiu a pegar um taxi e seguir até a avenida da Cultura e lá finalmente conseguimos comprar nossos ingressos. Estudantes pagam meia, mas tem que apresentar a carteirinha de estudantes internacional. O guarda nos informou que a da instituição servia e quebramos a cara. O Mendel não pode pagar meia, as meninas que estavam conosco foram fazer a carteirinha internacional. O ingresso pode ser pago no cartão de crédito, o valor do ingresso custou 126,00 soles a inteira sem incluir a subida em Wayanapicchu que tem a entrada controlada e paga-se o equivalente a 10 dólares para ter direito a subir a montanha. Nós compramos o ingresso para sexta e já tinham esgotado as entradas de Wayanapicchu. A gente podia ir no sábado, mas decidimos não subir a montanha e ir no mesmo dia que as meninas que de lá seguiriam viagem e nós voltaríamos para Cusco.

Ingressos comprados, fomos em direção a prefeitura comprar o bilhete turístico (estudantes também pagam meia, desde que tenham até 25 anos. Aqui aceitam qualquer carteirinha) que dá direito a visitar vários sítios arqueológicos nos arredores de Cusco. Pagamos cada um 70 soles pelo bilhete do Vale Sagrado que permite acesso a 4 sítios arqueológicos. Pisac, Olaytambo, Moray eum quarto que não lembro o nome porque não conseguimos ir. Nos atrasamos e quando passamos pela entrada do parque ele já estava fechado. Para fezer os passeios além de pagar pelo ingresso você tem que contratar uma agência pra te levar porque são distantes um dos outros e lógico precisa de um guia pra explicar. Nós contratamos um taxista que conhecemos por um acaso que também era guia de turismo, fechamos um preço bem mais barato que nas agências e seguimos com ele.


 Inka ...Fe, restaurante pelo qual nos apaixonamos em Cusco. Pelo menos uma refeição por dia fazíamos nele.

 Pinto no lixo com meu ingresso na mão.

 Praça da Armas

 Moray, pra chegar lá em baixo...

...tem que se equilibrar nesses degraus

 Círculo central, onde depositam oferendas.

 Pisac

 Ollaytambo


 Me apaixonei por essa montanha.

 São mais de 20 toneladas


 Amigos que fizemos. Eu, Natália, Paula, Mendel, Ana e Francesco. Todos brasileiros

 Painel em Cusco


 Pedra de 12 ângulos

 Adorei essa cruz vestidinha

Bairro de San Blas em Cusco

2 comentários on "Bolívia - Peru: Parte IV"

Helen Harris on 26 de janeiro de 2012 13:16 disse...

Cusco deve ser tudo de bom! Sonho em conhecer! E pelos fotos, vale muito a pena, né? Que bom que vocês aproveitaram bastante depois que o Mendel se recuperou. Estou adorando os relatos da viagem :)
Beijinhos!

Mayra on 26 de janeiro de 2012 17:53 disse...

O desenho que eu falei é A nova onda do Imperador.
Esse lugar é lindo!

Postar um comentário

 

"Por onde for quero ser seu par" 2011 | Desenvolvido por Craftices