Páginas

São Cosme e Damião


Hoje é dia de São Cosme e Damião e esse dia gera uma expectativa e preparativos na casa da minha mãe que dá doces há mais de 20 anos. Essa tradição começou com a primeira cirurgia na coluna que minha mãe fez, ela teve várias complicações que fizeram com que ela ficasse três meses no hospital, passasse por duas cirurgias, três paradas cardíacas em uma delas. Ela teve alta no dia 27 de setembro de 91, voltou pra casa ainda sem andar e uma tia prometeu por ela que se ela ficasse boa a minha mãe daria doces por sete anos seguidos.

Lembro até hoje desse setembro de 91, minha mãe recém chegada do hospital sentada numa cadeira com a porta da nossa casa aberta e dando doce na mão de cada criança. Minha mãe voltou a andar 8 meses depois e nós passamos todos os anos a buscar pelos doces mais bacanas no mercadão de Madureira, íamos de ônibus e cada volta pra casa era uma loucura, pacote de pipoca, paçoca, bombom e quando a gente chegava em casa era a vez da linha de produção dos saquinhos. Minha mãe continua dando doces até hoje e eu adoro essa tradição e sempre dou um jeitinho de participar. 

A minha mãe não pode carregar peso, então ela pediu pra que eu comprasse os doces pra ela. Ela junta dinheiro no cofrinho pra isso e me deu um saco cheio de moedas. Na sexta coloquei o saco na bolsa e senti que a minha bolsa não ia aguentar o peso de tantas moedas. Peguei o carrinho de feira, coloquei o saco de moedas dentro de uma eco bag e fui toda serelepe a pé numa loja de doces perto de casa (15 min), cheguei lá escolhi os doces, minha mãe é exigente e faz questão de um saquinho bem recheado e com doces bons. Escolhi os doces e fui pro caixa, que demorou um tempão pra contar as moedinhas, embalei os doces e coloquei no meu carrinho de feira e outras coisas na eco bag. Quando sai da loja o meu carrinho despendongou todo e foi uma loucura de doces pra todo lado e o moço da loja me ajudando a catar e a carregar tudo até um taxi. Revoltei com o carrinho que só serve pra carregar alface.

Ontem foi o dia de montar e lá estava eu, só hoje que não poderei participar da distribuição, mas pelo menos consegui participar da tradição de ajudar a minha mãe na preparação desse dia. Eu e o Mendel estamos pensado em ano que vem distribuir saquinhos de doces.

Doces comprados, antes do carrinho despendongar

 linha de produção.


 
 saquinho montado

7 comentários on "São Cosme e Damião"

Mayra on 27 de setembro de 2011 10:14 disse...

Hehehe nunca gostei de carrinho de feira! E que saquinho recheado, hummm!
Bjos

Elayne on 27 de setembro de 2011 10:14 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elayne on 27 de setembro de 2011 10:17 disse...

Hahahaha

Esse post me fez lembrar muito da minha infância, no Rio.

Peguei muito doce no dia de Cosme e Damião, quando era criança. Lembro-me de que minha mãe também deu doce, uns dois anos seguidos...

Era uma farra!

Gostava tanto de pegar doces, como montar as sacolinhas...

Bons tempos!

Fiquei com muita vontade de ganhar um saquinho de doces... rsrs

Eu gostava dos saquinhos recheados com doces mais simples, como:

* Doce de leite;
* Doce de amendoim;
* Maria-mole;
* Suspiro;
* Bananada;
* Doce de abóbora;
* Casquinha de sorvete com maria-mole (e um balão);
* Geléia açucarada

Ai que delícia!!

Lembro que eu pegava tanto doce que enchia bacias e bacias, que ficavam diiiiias na geladeira! Demorava pra acabar!

Fiquei com muita vontade!!

Minha boca está cheia de água!! rsrs

Aqui no ES quase não vejo as pessoas dando doces... Aqui o povo não tem muito esse costume... É uma pena! Pois é uma coisa que marca a infância da garotada...

Beijão Danee

Cristiane on 27 de setembro de 2011 11:24 disse...

Ai menina, hj mesmo estava eu aqui lembrando, como é bom ser criança né.
Beijinhos

Sra. N on 27 de setembro de 2011 16:46 disse...

na infância adorava esse dia, e ganhar um tantão de doces.

Bjs

Silvia on 28 de setembro de 2011 15:39 disse...

Na minha escola não podia distribuir doces e eu não me lembro se meus pais davam também - lembro de dar ovo de páscoa para crianças carentes em mais de uma páscoa, mas doce de são cosme e damião acho que nunca.

Minha mãe também nunca me deixou pegar saquinho de doce pq ela dizia que eu não precisava e devia deixar para as crianças que precisam mais. Lógico que eu já comi docinho típico mas não é uma coisa comum para mim, mas acho muito legal a sua mãe fazer por tanto tempo! E que ela continue fazendo por muito mais!

Beijos!

Silvia on 28 de setembro de 2011 15:40 disse...

AH! Vale explicar que minha família de mãe é toda gaúcha, acho que por isso que nunca tiveram o hábito de dar doces. Na casa do Erick - tb gaúchos - era a mesma coisa, nunca deram os doces.

Beijos!

Postar um comentário

 

"Por onde for quero ser seu par" 2011 | Desenvolvido por Craftices