Páginas

A família que herdei.


Olá pessoal,

Dizem que quando casamos, casamos também com a família do nosso cônjuge. A família do Mendel é muito bacana. Passada a fase do ciúme me receberam de braços abertos. Nunca vou esquecer os gestos e as palavras dos meus sogros na hora dos cumprimentos. Eles abriram os braços e chorando disseram que me recebiam como filha. É exatamente assim que me sinto acolhida.

Eu e meus sogros no meu aniversário em 2007.

Todos os membros da família que herdei já tinham me adotado há muito tempo. Vanessa minha prima-amiga confidente, os primos Paulinho e Ingrid nossos dindos, as tias que muuuuito me ajudaram na reforma e arrumação da casinha. Tia Rosi salvou as janelas!

Felipe, Cassiane (cunhada), Vanessa, Paulinho e Mendel.

Tia Rosi, Mamãe e sogrinha mandando ver na faxina.

Família Oliveira, tive quase que brigar pra juntar todo mundo na foto. São tímidos. Quase não temos fotos da sogrinha no casório. Ela fugia.

Os avós são os meus xodós. Como eu sou carente de avós, só tenho uma que mora longe. Demorei a chamá-los de avós, mas se hoje eu chamá-los pelo nome eles se ofendem. Cada um tem uma história de vida, passaram por situações difíceis e com muito trabalho conseguiram criar seus filhos. O vó Aristides passou mal na nossa cerimônia de casamento, ele não imaginava que um dia poderia assistir ao casamento do neto com seus 89 aninhos! Foi à festa somente para tirar a foto conosco. Ficaria muito triste se essa foto não tivesse sido tirada.

Vô Chico, vó Bibi, eu, Mendel, vó Valdete e vô Aristides

Vô Chico - Avô materno, cheio de histórias da época em que era caminhoneiro. Quanto mais ele gosta de você mais você sofre na hora de cumprimentá-lo. O abraço dele é um tanto caloroso.

Vó Bibi - Avó materna, nos deixa loucos com a sua mania de mudar os móveis de lugar e trocar de eletrodomésticos com uma frequência grande!

Vô Aristides - Avó paterno, compra laranjas pra gente e quando os visitamos somos entupidos de vitamina C. Se a gente não aceita ele se ofende. Também cheio de histórias, mas as dele são do período da época em que ele lutou na II Guerra Mundial. Não são todas histórias tristes não. Tem uma linda história de amor. A história do soldado Carlos Cruz. Ainda conto ela aqui.

Vó Valdete - Essa tem mania de se mudar de casa, deixa o vó Aristides louco com isso. Ela faz as suas próprias roupas, inclusive as íntimas. Começou a fazer a roupa que usaria no casório no início de 2009 e por causa da mudança que fez na véspera do casamento perdeu a roupa e teve que ir com outra.

Mendel, eu, vó Aristides e vó Valdete no nosso apartamento antes da obra.

Escuto tantas pessoas falando mal das famílias dos seus companheiros. Acho tudo muito estranho. Temos defeitos? Sim! Todo mundo tem, a diferença é que nos respeitamos e nos amamos. Sou muito feliz por fazer parte das famílias Oliveira e Aleluia. Que bom que casei com todos vocês.

Beijocas

5 comentários on "A família que herdei."

Fá [♥] on 8 de outubro de 2010 16:45 disse...

que lindo post!
Parabéns pela família linda e especial!!!
Deus abençõe cada vez mais vcs!

Um beijão

Helena Faria on 8 de outubro de 2010 18:59 disse...

Ai.. adorei essa linda homenagem aos seus avós! hhe.. eu só perdi meu avô materno ano passado, e agora fiquei só com a minha vó! Acabo abusando um pouquinho dos avós do meu noivo.. heheh

eu tbm não entendo essas pessoas que fazem quastão de ter uma má convivência com a família do companheiro/a. se esquecem de que estão formando uma família tbm... e no futuro mais pessoas se agregaram a ela!

beijoo

Riso on 8 de outubro de 2010 19:34 disse...

Nora, obrigada por essa linda homenagem a nossa família. Não canso de agradecer a Deus por você ser ter entrado em nossa família para nos unir mais ainda e aumentar essa família. Obrigada pelo carinho que você demonstra ter pelos meus pais e meus sogros.Um beijo emocionado e com certeza ainda irei a uma tarde de autógrafo da minha nora.

Ju on 10 de outubro de 2010 13:33 disse...

OI, querida

é tão bom ganhar uma segunda família, né? também fui muito bem recebida pelos meus sogros e tios do maridón! Fico com pena das meninas que tem sogra chata ou família chata, pq é mt difícil conviver sem ter apoio da família.

beijos, ju

Silvia e Roberto on 13 de outubro de 2010 03:10 disse...

Oi Danne. Tudo bem?
Também adoro a família do Roberto. Minha famíla que não me ouça, mas sou mais parecida com a família dele do que com a minha (rs).
Beijos, Sil :)

Postar um comentário

 

"Por onde for quero ser seu par" 2011 | Desenvolvido por Craftices