Páginas

Eu e as galinhas - Parte I


Não entendeu o título? Eu explico, tive uma infância rica em eventos culturais e brincadeiras que meus pais sempre nos proporcionaram. O que faltou de roupas de marcas, brinquedos caros. Sobrou de programas que nos formavam como crianças curiosas. Contei pra minha sogra a minha restrita relação com as galinhas quando criança, ela morreu de rir e sugeriu que escrevesse sobre. Achei que seria interessante, então aí vai.

Minha irmã é dois anos mais velha que eu e quando crianças a gente não reconhecia o amor imenso que tínhamos uma pela outra e não éramos a melhor companhia uma pra outra. então papito sempre deixava cada uma convidar um amiguinho(a) nos passeios e enchia o fusquinha de crianças. Íamos pra Quinta da Boa Vista, CCBB, praia, autódromo, feira de filhotes e tudo mais que nosso pai achasse interessante. Feita a contextualização necessária, vamos as galinhas.

Numa das feiras de filhotes que fomos cheios de amiguinhos cada criança ganhava na entrada um pintinho e voltamos cada um com seu pintinho feliz e sorridente pra casa. Lógico que os pais das outras crianças não deixaram elas ficarem com os pintinhos e nós adotamos todos. Deveria ser uns cinco ou seis, não lembro ao certo. Todo dia a gente descia com os pintinhos pra eles brincarem e era uma festa na quadra do condomínio, era pintinho correndo e um bando de crianças correndo atrás. Eu era meio Felícia e fazia o estilo vou amar, vou apertar e nessa de apertar matei dois pintinhos enforcados :( Juro que não era por querer, e meus pais contam que era um berreiro cada vez que engarguelava um. Os sobreviventes foram crescendo em baixo da mesa da cozinha e virando galos e galinhas adultos. 

Era mais ou menos assim que eu pegava nos pintinhos.

Imagina morar num apartamento de menos de 50m² e ter 3 galos que acordavam o prédio inteiro com um sonoro cocoricó!!!! Claro que não ia durar muito tempo né? Minha avó paterna mora em Minas e tem uma casa com quintal grande e que tinha um galinheiro. Fomos convencidas a levar nossos galos/galinhas pra casa da vovó, assim eles brincariam com os outros amiguinhos.

Preciso dizer que anos depois descobri que comi meus bichinhos? 

Juro que não sou traumatizada e morremos de rir quando relembramos essa história.




5 comentários on "Eu e as galinhas - Parte I"

Waleska on 26 de novembro de 2012 20:25 disse...

Nunca consegui criar esses pintinhos de feiras, eles morriam logo... :/

Priscilla on 26 de novembro de 2012 23:58 disse...

Adorei seu post, que história hein!!! Ainda bem que não ficaram traumatizados!!
Bjs =^.^=

Daienne Lima on 27 de novembro de 2012 08:16 disse...

kkkkkkkkk!!!
Fiquei imaginando a cena!
Felícia... Mt bom!!

Bj

Mayra on 27 de novembro de 2012 20:11 disse...

Hahaha Não sou criança e juro que conforme fui lendo jurei que as galinhas tinham ido pra Minas mesmo. Eu sim seria traumatizada se tivesse comido!

Ju on 7 de dezembro de 2012 09:42 disse...

Ahhhh eu nunca escolhia os pintinhos!! Sempre pegava os peixes! hehehe eu tinha um aquário! e em casa eu tinha dois periquitos, dois hamsters e uma gata... acho que não precisava de mais um bicho, né? hehehehhe

bjocas, to me atuallizando por aqui!

Postar um comentário

 

"Por onde for quero ser seu par" 2011 | Desenvolvido por Craftices